Sobre Câncer de Fígado e Carcinoma de Esôfago


O câncer de fígado (carcinoma hepatocelular) é o terceiro que mais mata no mundo. Cerca de 700 mil mortes ocorrem por ano. No Brasil, entre os anos de 2011 e 2015, foram registrados 44 mil óbitos. É o que aponta a análise “Carcinoma Hepatocelular: Barreiras de Acesso, Diagnóstico e Tratamento no Cenário Brasileiro Atual”, feita através de dados do Datasus.

E mesmo com uma taxa de mortalidade tão elevada, o brasileiro ainda é mal informado sobre a doença. O Instituto Oncoguia realizou uma pesquisa para entender como o brasileiro percebe o câncer de fígado. Cerca de 1.500 pessoas, com idade entre 18 e 65 anos, foram ouvidas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Porto Alegre. Mais da metade afirma conhecer a doença. Entretanto, 61% deles não sabe quais são os principais sintomas e 59% desconhece os fatores de risco. Quase 80% considera o consumo excessivo de álcool como uma das causas do câncer de fígado. No entanto, a maioria não o relaciona com a doença e desconhece as hepatites B e C como fatores de risco.

Outra dúvida que atinge a maioria dos entrevistados é o diagnóstico. Apenas 20% acertou que o mesmo é realizado, principalmente, através de exames de imagem. Pelo menos um a cada três entrevistados conhece alguém com a doença, mas 44% não sabem sobre a existência de tratamentos disponíveis.

A maioria dos tumores é descoberta depois do avanço da doença e isso tem impacto direto no uso das terapias e na sobrevida dos pacientes. Por isso, é tão importante que a população tenha mais acesso à informação sobre o câncer de fígado. Há opções de tratamento para os diferentes estágios da doença, mas se o diagnóstico for feito mais cedo, mais chances se terão de chegar a procedimentos potencialmente curativos, como a ressecção cirúrgica, transplante de fígado, injeção percutânea de etanol, ablação por radiofrequência, quimioembolização, quimioterapias e tratamentos paliativos.

O fígado é o maior órgão sólido interno do corpo. É composto por vários tipos diferentes de células, principalmente hepatócitos, que podem formar variados tumores malignos e benignos.

O Carcinoma de Esôfago

O Carcinoma de Esôfago é um tumor que acomete o esôfago sob a forma de um estreitamento.

Dificuldade progressiva para deglutir, inicialmente alimentos sólidos (pão, carne, etc).

O tabagismo e o alcoolismo são os fatores comprovadamente predisponentes ao aparecimento deste tipo de doença. A existência de um refluxo esofágico crônico também pode aumentar esta predisposição. O uso rotineiro de bebidas bastante quentes tem sido considerado uma outra possível causa.

Todo o paciente portador de uma queimação retroesternal (pirose) ou dificuldade mesmo eventual para deglutir deve consultar no intuito de descobrir a sua causa.

Via: Dr. Diogo Bezerra

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes