ELETROCARDIOGRAMA (ECG)


Ondas:

· Onda P: despolarização dos átrios. É percussora da sistole atrial e tem duração de 0.08 a 0.12 s. 

O ritmo sinusal é caracterizado pela presença da onda P positiva em DII, DII, aVF e V2-V6. 

Geralmente positiva em DII e aVL, negativa em aVR e bifásica ou variável em V1. É melhor analisada na derivação DII, tendo importância para análise do ritmo sinusal (ciclo elétrico originado no NSA) ou ciclo ectópico (impulsos elétricos não originados no NSA e sim em outras locais do coração.

· Complexo QRS: ocorre após o intervalo PR e representa a ativação ventricular (doreita-esquerda), precursora da sistole ventricular é constituída de três ondas. Tem duração de 0.06 a 0.10 s com amplitude variada, apresentando-se maior nas derivações precordiais do que nas periféricas.

1. Onda Q: primeira deflexão negativa com amplitude entre 0.5 a 1.0 mm. Em situações normais, na maioria das derivações do ECG, ela não aparece.

2. Onda R: primeira deflexão positiva, pode ter até 30 mm de amplitude.

3. Onda S: segunda deflexão negativa

A presença de uma segunda onda positiva no complexo QRS é chamada de R’. Caso ocorra uma nova onda deflexão negativa será chamada de S’. As ondas de amplitude inferior a 5mm receberão as letras minusculas: q, r, s e maiores que 5 mm, Q,R,S. Devido a isto, a apresentação dos três componentes varia levando a formação de padrões distintos, por exemplo: R, Rs, RS, qRs, ...

· Onda T: representa a maior parte da repolarização ventricular. Tem forma arredondada. Sua duração não é medida de forma isoada, sendo integrada ao intervalo QT. Normalmente é positiva em DI, DII, V2 a V6, negativa em aVR e variável nas demais.

· Onda U: ocorre após a onda T, mas nem sempre é identificada. Sua representação é incerta, porém sugere-se relação com o período de recuperação das fibras de condução ventriculares, potenciais tardios no início da diástole ou repolarização dos musculos papilares.intervalos.

Segmentos e Intervalos:

· Segmento PR: começa no final da onda P e termina no início do complexo QRS.Exprime a passagem do estímulo pela junção átrio-ventricular, é onde sofre um atraso para permitir a contração atrial e o enchimento ventricular.

· Intervalo PR: espaço que abrange a onda P e o segmento PR. Indica a velocidade de contração entre os átrios (NSA) e os ventrículos (NAV) e representa a despolarização atrial. Varia de 0.12 a 0.20 s e está relacionada com a FC, sendo maior em FC baixa e menos em FC alta.

· Segmento ST: período entre o fim do complexo QRS e o começo da onda T. Alterações quanto a sua posição com relação a linha de base são denominadas de supra e infradesnivelamentos e podem sugerir lesões do miocárdio.

· Intervalo QT: espaço abrangido pelo complexo QRS, segmentos ST e pela onda T. Representa a despolarização e repolarização ventricular. Tem duração que varia de 0.30 a 0.44s, sendo inversamente proporcional a FC. Em um ritmo cardíaco normal, sua duração não deve ser superior a metade da distância entre duas ondas R consecutivas.

· Intervalo RR: em milissegundos, é o espaço existente entre duas ondas R consecutivas. Mostra um ciclo cardíaco completo e é empregado para auxiliar na determinação do número as contrações cardíacas ocorridas em um período e tempo.

Por: Raylana Nascimento - Fisioterapeuta.

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes