Protocolo de tratamento conservador para rupturas totais do manguito rotador mostra-se eficiente em 75% dos casos


Mais um estudo que corrobora com o sucesso do tratamento conservador em oposição ao tratamento cirúrgico é publicado.

Em um blog anterior vimos esse sucesso para lesões no menisco e agora Kuhn et al publicaram no Journal of Shoulder and Elbow Surgery uma importante pesquisa que mostra grande vantagem do tratamento conservador nas rupturas do manguito.

Tais estudos vêm para favorecer cada vez mais nossa profissão e embasar nossas decisões.

Objetivo: Avaliar a eficácia de um programa de fisioterapia específico no tratamento não cirúrgico de ruptura total atraumática do manguito rotador através de um projeto de estudo de coorte prospectivo multicêntrico.

Materiais e Métodos: Pacientes com rupturas totais atraumáticas do manguito rotador que consentiram em se inscrever, forneceram informações via questionário sobre dados demográficos, as características dos sintomas, comorbidades, vontade de passar por cirurgia, e as avaliações de resultados relacionados ao paciente (pontuações SF-12, Western Ontario do Manguito Rotador WORM, Cirurgiões Americanos de Ombro e Cotovelo CAOC, Avaliação Única de Avaliação Numérica AUAN e Escala de Atividade do Ombro). Médicos registraram exames físicos e dados de imagem. Pacientes iniciaram um programa de fisioterapia desenvolvido a partir de uma revisão sistemática da literatura e retornaram para avaliação após 6 e 12 semanas. Nessas visitas, os pacientes poderiam escolher entre uma das 3 opções: (1) curados (nenhum acompanhamento formal era programado), (2) melhores (continuar a terapia com reavaliação prevista para 6 semanas), ou (3) nada melhor (cirurgia oferecido) . Os pacientes foram contatados por telefone em um e dois anos para determinar se eles foram submetidos à cirurgia desde sua última visita. Um teste assinado de classificação Wilcoxon, com correção de continuidade foi utilizado para comparar resultado inicial de 6 semanas e de 12 semanas nas pontuações.

Resultados: A amostra é composta de 452 pacientes. Resultados relatados pelos pacientes melhoraram significativamente em 6 e 12 semanas. Pacientes eleitos a realizar cirurgia representaram menos de 25%. Pacientes que decidiram fazer a cirurgia geralmente o fizeram entre 6 e 12 semanas, e poucos fizeram a cirurgia entre 3 e 24 meses.

Conclusão: O tratamento conservador com este protocolo de fisioterapia é eficaz para tratar rupturas totais atraumáticas do manguito rotador em aproximadamente 75% dos pacientes acompanhados por 2 anos.

Fonte: www.terapiamanual.com.br/blog/

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes