FRATURA DE RÁDIO



As fraturas do rádio são comuns em modalidades como o skate e o futebol.

A gravidade varia com o grau de comprometimento articular, sendo maior em desportes de alto contato, ex: desportes equestres ou motorizados.

O mecanismo mais comum é a queda sobre a mão com o punho em hiperextensão.

Ocorre dor, impotência funcional e inchaço. A avaliação por imagem inicial é feita através da radiografia, a tomografia computorizada ou a ressonância magnética, estes podem ser necessárias nas fraturas articulares ou na suspeita de uma lesão ligamentar.

A presença de adormecimento ou formigamento nos dedos sugere lesão de um nervo.

O objetivo do tratamento é manter o comprimento do osso, a sua inclinação radial e a congruência das várias articulações do rádio. 

As fraturas não desviadas devem ser tratadas conservadoramente, ou seja, apenas com fisioterapia. As fracturas desviadas devem ser submetidas a redução e a fixação.

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes