A OSTEONECROSE NO PÉ


A OSTEONECROSE, também chamada de NECROSE AVASCULAR, é uma doença caracterizada pela morte das células ósseas, causada pela falta de circulação local.

Podemos encontrar a osteonecrose em diversos ossos do corpo, e no pé, pode atingir os ossos do tálus, o primeiro e segundo metatarsais e o navicular.

O osso do tálus, que compõe a articulação do tornozelo, fica logo abaixo da tíbia e transmite toda a força para cima (tíbia) e para baixo (ossos do tarso), funcionando assim como uma ponte importante na transmissão de energia para a perna e o pé. É o mais afetado pela doença por possuir uma vascularização delicada e a maior parte do osso estar envolvida por cartilagem.

A osteonecrose pode originar-se de fraturas dos ossos do pé ou decorrentes de outras doenças do desenvolvimento ósseo e cartilaginoso, as chamadas osteocondrites.

A origem da osteonecrose é a interrupção da nutrição do osso por vasos sanguíneos, que pode ser abrupta (por uma ruptura do vaso) ou através de um fechamento dos vasos (artérias ou veias). Os vasos podem se fechar por várias causas, desde tromboses (formação de um coágulo fixo na parede do vaso), embolias (coágulos que se desprendem e migram para outro vaso), gorduras e anormalidades nas células vermelhas do sangue.

Alguns fatores predisponentes podem ser descritos como o abuso de álcool e o uso de corticóides, embora a causa mais freqüente ainda seja o traumatismo do pé. 

A fratura do osso do tálus, que ocorre após um movimento brusco de dorsiflexão forçada (movimento para cima do pé), é causada por traumatismos de grande energia. Estas situações podem ocorrer após quedas, acidentes ou mesmo nas grandes torsões durante a atividade física. 

O tálus fraturado pode deslocar-se, o que contribui de forma significativa para o desenvolvimento da osteonecrose. Quanto maior for o deslocamento do osso fraturado, maior a chance de lesar a rede de artérias que nutrem o osso. No momento do acidente, evite colocar o pé no chão, imobilize-o, e movimente-o o mínimo possível até a avaliação de um médico especialista em ambiente adequado. Do diagnóstico e tratamento adequados da fratura depende o desenvolvimento ou não de uma osteonecrose.

Após a obstrução do vaso, as células do osso começam a sofrer e passam por modificações nas suas estruturas. As primeiras manifestações clínicas da ON podem ocorrer 6 a 10 meses após a lesão ter se iniciado. As deformidades do osso acontecem depois e também causam dor e sintomas mecânicos como estalidos, limitação de movimentos e inchaço.

O osso afetado sofre alterações da forma que podem ser vistas tardiamente aos exames radiográficos. O exame de Ressonância magnética pode identificar precocemente as alterações da ON já nas primeiras semanas após a instalação da doença, o que permite certa precocidade diagnóstica.

O tratamento da osteonecrose é determinado por um médico especialista, variando desde métodos conservadores como a imobilização, a limitação do apoio do pé por tempo determinado, e o retorno gradual das atividades. O tratamento cirúrgico também faz parte dos recursos terapêuticos, indicado geralmente para os casos onde o tratamento conservador falhou.

Acidentes acontecem. Procure um especialista o mais breve possível. Os seus ossos agradecem.

Por: Dr. Lucas Nogueira Mendes - Fisioterapeuta.

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes