DOENÇAS PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA - DPOC

Dr. Pereira
O termo Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é geralmente utilizado para descrever a obstrução do fluxo aéreo devido à bronquite crônica, enfisema, ou ambos.


Crônica: persistente.
Bronquite: inflamação dos brônquios (as vias respiratórias dos pulmões).
Enfisema: lesão nas vias aéreas menores e sacos aéreos (alvéolos) dos pulmões.
Pulmonar: que afeta os pulmões.

A bronquite crônica e o enfisema podem causar obstrução (estreitamento) das vias aéreas, e geralmente ocorrem em conjunto.

Fumar é, destacadamente, a principal causa de surgimento de DPOC. A mucosa das vias respiratórias fica inflamada e danificado pelo fumo. Cerca de 3 em cada 20 pessoas que fumam um maço de cigarros (20 cigarros) por dia, e 1 em cada 4 fumadores de 2 maços por dia, desenvolvem DPOC se continuarem a fumar. Para qualquer fumador, as hipóteses de desenvolver DPOC está entre 1 em 10 e 1 em 4.

A poluição do ar no trabalho e em determinadas zonas podem causar alguns casos de DPOC, ou agravar a doença. O efeito combinado da exposição profissional a poluentes atmosféricos e fumar aumenta as hipóteses de desenvolver DPOC.

Um pequeno número de pessoas que têm um risco genético (hereditário) da DPOC, devido a deficiências de proteína muito raros que podem levar a doenças do fígado, pulmão e sangue. (Esta condição é chamada de deficiência de alfa-1-antitripsina). Representa menos de 1 em cada 100 casos de DPOC.

Pessoas que nunca fumaram raramente desenvolvem a DPOC. (tabagismo passivo continua, no entanto, uma causa potencial.) A DPOC afeta principalmente pessoas com mais de 40 anos e torna-se mais comum com o aumento da idade. A idade média do diagnóstico é aos 67 anos, e é mais comum em homens do que mulheres.

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

  • Tosse: é normalmente o primeiro sintoma a aparecer. É produtiva com expectoração (catarro). Tende a ser intermitente de inicio,tornando-se gradualmente mais persistente.
  • Falta de ar (dispneia): pode ocorrer associada a chiadeira. De inicio apenas com a atividade, como por exemplo, quando sobe escadas. Estes sintomas tendem a se tornar progressivamente pioram longo dos anos, especialmente se continuar a fumar.
  • Expectoração: as vias aéreas danificadas podem produzir muito mais muco que o normal. 
Infecções nos pulmões são mais comuns se tiver DPOC. Chiadeira com tosse e falta de ar pode tornar-se pior do que o habitual nestes casos. Catarro geralmente fica amarelo ou verde durante uma infecção no pulmão. Infecção pulmonar pode ser causada por bactérias ou vírus.

Dor no peito e tosse com sangue (hemoptise) não são características comuns da DPOC. É possível ter um pouco de sangue no catarro quando tem uma infecção no pulmão. No entanto, dor no peito, sangue no catarro ou tosse com sangue só,devem sempre ser relatados ao médico, devendo ser descartadas outras condições (como angina, ataque cardíaco ou cancro do pulmão).

O relato detalhado da sua história clínica (sintomas) e o exame físico irão ajudar o médico no diagnóstico de uma DPOC. Um exame do peito pode ser normal em pacientes com DPOC leve ou moderada. Usando um estetoscópio, o médico pode encontrar sinais de uma infecção no peito. O tórax também pode mostrar sinais de estar hiperinsuflado. Isto ocorre porque as vias aéreas estão obstruídas e, assim como é difícil para o ar entrar também é difícil para sair.

O teste mais comum usado para ajudar a diagnosticar a doença é chamado de espirometria. Este teste dá uma estimativa dos volumes pulmonares medindo a quantidade de ar que pode expelir de uma só vez para uma máquina que fará a medição.

Por: João Maia - Fisioterapeuta
Via: fisioinforma.com

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes