A LESÃO MUSCULAR POSTERIOR DA COXA





Lesões dos músculos isquiotibiais ocorrem com freqüência em atletas. São especialmente comuns em atletas que participam de esportes que exigem corrida, futebol e basquete.

Anatomia


Os músculos isquiotibiais ou músculos posteriores da coxa dividem-se em:

  • semitendíneo
  • semimembranoso
  • bíceps femoral

Eles começam na parte inferior da pélvis em um lugar chamado a tuberosidade isquiática e atravessam a articulação do joelho e terminam na parte inferior da perna. Possuem a função de ajudar a estender a perna para trás e dobrar o joelho.

Por que a lesão ocorre?

A principal causa é a sobrecarga muscular. Durante o chute a uma bola ou durante um “Sprint” na corrida, o grupo muscular anterior da coxa, chamado de quadríceps se contrai vigorosamente objetivando força, esticando o joelho e o grupo posterior da coxa, os isquiotibiais estica-se contra a resistência, objetivando modular o movimento. A isso chamamos de ” contração excêntrica “. Neste momento, por nao resistir a força do quadríceps (agonistas), os isquiotibais (antagonistas) se rompem.

Fatores de Risco

Falta de alongamento muscular: Os atletas devem seguir um programa durante todo o ano de exercícios de alongamento diários, principalmente atletas velocistas, atletas de quadras e campo.

Desequilíbrio muscular: Quando um grupo de músculos é muito mais forte do que o seu grupo de músculos opostos , o desequilíbrio pode levar a uma lesao . Isso acontece com frequência com os músculos isquiotibiais .

Mau condicionamento: Se os seus músculos são fracos, eles são menos capazes de lidar com o estresse do exercício e são mais propensos a ser ferido .

Fadiga muscular: A fadiga reduz a capacidade de absorção de energia dos músculos , tornando-os mais suscetíveis a lesões.

O que se sente?

Basicamente, ocorre dor súbita na região posterior da coxa com incapacitação quase que imediata do atleta. É muito comum o espectador ver a equipe de primeiros-socorros removendo o jogador de futebol do campo.

Outros sintomas podem incluir:

  • Inchaço durante as primeiras horas após a lesão
  • Hematomas ou descoloração da parte de trás de sua perna
  • Fraqueza que pode persistir por semanas.

Diagnostico

Frente a uma suspeita de lesão muscular, o médico do esporte, ao examinar o atleta busca pelo local da dor e interrupção (gap) muscular.

Exames de imagem incluem o usg a e ressonância magnética. O exame ajuda a graduar o grau da lesão.

Tratamento

A maioria maioria das lesões dos isquiotibiais curam muito bem com tratamento simples , não cirúrgico, que inclui:
  • Repouso, gelo, compressão e elevação.
Fisioterapia: Deve ser iniciada o mais breve possível. O ultrassom pulsado visa reduzir o tempo de reabsorção de hematoma. Exercícios específicos podem restaurar a amplitude de movimento e força.

Tratamento Cirúrgico

A cirurgia é mais freqüentemente realizado para as lesões por avulsão do tendão , onde o tendão tem puxado completamente longe do osso, principalmente originadas na pelve ( avulsão do tendão proximal ).

Tratamento com Plasma Rico em Plaquetas

As plaquetas ajudam o processo de reparo do corpo , pois contêm fatores de crescimento, como o fator de crescimento derivado de plaquetas (PDGF). Após a ativação, esses fatores são liberados e acredita-se auxiliarem na migração de células-tronco para a formação de tecido muscular.

O PRP é preparado coletando-se o sangue do paciente, realizando-se centrifugação e extraindo-se os fatores de crescimento das plaquetas. Em lesões musculares agudas (que acabaram de acontecer), o hematoma é drenado e, a seguir, o PRP é infundido sob auxilio de ultrassom realizado por um radiologista experiente.

Espera-se, portanto que o PRP atue na lesão muscular acelerando seu tempo de cicatrização e que haja maior recrutamento de células tronco para que mais músculo (e menos cicatriz) seja formado.

Os estudos são encorajadores e o PRP se torna uma arma no tratamento de lesões musculares. Por enquanto, o PRP ainda é considerado uma terapia experimental.

Prevenção

A avaliação isocinética é, sem duvida, a principal ferramenta na prevenção da lesão dos isquiotibiais, pois orientam o grupo muscular a ser trabalhado. Em clubes de futebol são mandatórias.

Além dela, boa nutrição e boa hidratação, um bom aquecimento antes do esporte e o treinamento para o mesmo sob supervisão de profissionais da educação física experientes também são muito importantes.

Por: Dr. Adriano Leonardi
Traumatologia do Esporte.
Via: adrianoleonardi.com.br

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes