VOCÊ É VICIADO EM CELULAR?




Você sabia que as horas que você passa no Wathsapp prejudicam não apenas a sua produtividade no trabalho, na escola ou faculdade?

Pescoço de texto! Este é um novo termo lançado após uma importante pesquisa que ocorreu nos Estados Unidos para descrever as pessoas que são “viciadas” em redes sociais e que passam horas e horas utilizando Smartphones e/ou Tablets durante o dia. 

A pesquisa foi coordenada pelo Dr. Kenneth Hansraj, Neurocirurgião de coluna do Centro Médico de Cirurgia Espinhal e Reabilitação de Nova York no ano final de 2014.

O estudo comprovou que a maioria das pessoas que se declaram “viciadas” em redes sociais passam em média de 700 a 1,4 mil horas por ano utilizando dispositivos eletrônicos para este fim. Na minha prática clínica, essa verdade ganha força tendo em vista a quantidade de pessoas que chegam ao consultório com queixas de dores na região do pescoço. Antes da popularização dos Smartphones, grandes parcelas das procuras eram por motivos de dor na região lombar. 

O Bum dos Celulares inteligentes é comprovado pela quantidade de aparelhos que são vendidos no Brasil. Em 2015, por exemplo, as vendas de Smartphones superaram as de computadores e no país já existem cerca de 154 milhões de celulares conectados à internet.

E porque utilizar estes aparelhos em demasia faz mal para a coluna? Voltando ao estudo supracitado, passar muito tempo utilizando esses dispositivos numa postura ruim (cabeça baixa – flexão de pescoço) gera uma sobrecarga que pode chegar a quase 30 kg (ver imagem abaixo) em cima dos discos intervertebrais (conhecidos como os amortecedores da coluna). 

Além disso, o excesso de flexão prolongada pode gerar alterações, muitas vezes irreversíveis, na curvatura da coluna cervical, que perde a lordose e passa a ficar mais reta quando vista em exames como Raio-X ou Ressonância Nuclear Magnética. 

Outra curiosidade importante é que cada vez mais tenho recebido escolares e universitários no consultório por queixas como essa. O público jovem tende a utilizar, de forma mais intensa, as redes sociais e os pais precisam ficar atentos a isso, pois a demora em perceber os sintomas, pode fazer com que uma simples dor de origem postural, se transforme num problema mais grave como hérnia de disco. 

Uma dica muito simples para minimizar os riscos para sua coluna é diminuir as horas de uso e quando utilizar os smartphones, tentar fazê-lo com uma postura que não sobrecarregue tanto a coluna.

Se você, seu filho ou alguém que conheça se andam se queixando de dores na região do pescoço, observem os seguintes sintomas:

• Dor no pescoço com “sensação de peso” na cabeça que não passa no repouso;
• Dor no pescoço e dor acima dos ombros;
• Dor no pescoço com sensação de formigamento ou choque no braço e na mão;
• Sensação de perda de força no braço ou na mão;

Estes são sintomas importantes que devem ser investigados por profissionais especialistas em coluna para que as medidas corretas sejam tomadas antes que algo mais sério possa acontecer. 

Lembre-se: Você é o principal responsável pela sua saúde e não existe forma melhor de cuidar dela prevenindo doenças. A receita é sempre muito simples e existe o que chamo de tripé da saúde: bons hábitos alimentares, boa postura no dia a dia e prática regular de atividade física.

Dr. Kerlon Lira, Fisioterapeuta Especialista em Coluna Vertebral
Diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna – ABRCOLUNA
Diretor do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral - Sobral
Via: http://encontrocomsaude.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes