O câncer de mama: O tratamento fisioterapêutico pós-mastectomia radical.


O câncer de mama é definido como uma doença complexa e heterogênea que se origina nas estruturas glandulares de forma lenta ou progressiva. Embora verifique-se o avanço da ciência, a incidência e a taxa de mortalidade continuam alarmantes e esta é a principal causa de morte por este tipo de câncer entre as mulheres. 

O agravante é que 70% dos casos são diagnosticados em fase avançada e está indicado na maioria dos casos a mastectomia radical, definida como a retirada total da mama. 

O tratamento fisioterapêutico é de extrema importância para manutenção das atividades funcionais, motoras e psicológicas. 

Pacientes submetidas a esta cirurgia tem suas vidas abaladas e o objetivo da fisioterapia é trabalhar a mulher como um todo. 

O protocolo de atendimento fisioterapêutico prevê a utilização de técnicas como a crioterapia, drenagem linfática e a cinesioterapia, que contribuem para a recuperação destas pacientes. Pois a crioterapia promoverá analgesia, a drenagem linfática oferecerá a redução de aderências cicatriciais e linfedema, enquanto que a cinesioterapia irá manter a amplitude de movimento articular reduzida durante o período pós- operatório. 

O objetivo final e o que torna a fisioterapia fundamental é evitar a instalação de padrões posturais patológicos e garantir a qualidade de vida destas mulheres.

Por: Suellen Leite - Fisioterapeuta.

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes