LESÃO DO MANGUITOR ROTADOR


Visão geral

O manguito rotador é formado por quatro músculos que ajudam a mover-se e estabilizar a articulação do ombro. Danos em qualquer um dos quatro músculos pode ocorrer por causa de lesão aguda, crônica excessiva, ou envelhecimento progressivo. Isso pode causar dor significativa e deficiência com a amplitude de movimento ou o uso da articulação do ombro.

O ombro é uma articulação que permite que o braço se mova em várias direções. Ela é composta da cabeça do úmero (a extremidade superior do osso do braço) apropriado para a fossa glenóide da escápula. A cabeça do úmero é mantida no lugar pela cápsula articular e labrum, bandas de espessura da cartilagem que formam um cone alongado, onde a cabeça do úmero se encaixa. Os músculos do manguito rotador são os estabilizadores dinâmicos e motores da articulação do ombro e ajustam a posição da cabeça do úmero e escápula durante o movimento do ombro.

Quando o manguito rotador é danificado, uma variedade de questões surgem:

• Dor e espasmo limitam a amplitude de movimento do ombro.

• Os músculos não fazem os pequenos ajustes dentro do conjunto para permitir que a cabeça do úmero para mova-se suavemente.

• Acúmulo de líquido dentro da articulação devido ao limite de movimento.

• Artrite e depósitos de cálcio, que formam intervalo de tempo limite de movimento.

A gravidade da lesão pode variar de uma estirpe fraca e inflamação do músculo ou do tendão, que dará lugar a uma lesão permanente, a um rasgo parcial ou completa do músculo que podem requerer cirurgia para reparação.

Causas da lesão do Manguito Rotador

As lesões de tendão do músculo são chamadas estirpes e são classificados pela quantidade de danos no músculo ou fibras do tendão. O grau I envolve alongamento das fibras, sem quaisquer "lágrimas". Lesões grau II envolvem musculatura parcial ou tendão, e lesões grau III são definidos como uma "lágrima completa" de um músculo ou do tendão.

Os músculos e tendões no grupo do manguito rotador podem ser danificados em uma variedade de maneiras. Os danos podem ocorrer a partir de uma lesão aguda (por exemplo, de uma queda ou acidente), a partir de excesso crônico (como arremessar uma bola ou de elevação), ou a partir de degeneração progressiva do músculo tendão e que pode ocorrer com o envelhecimento.

Ruptura do manguito rotador agudo

• Esta lesão pode se desenvolver a partir de levantamento súbito do braço contra a resistência ou de tentativa de amortecer uma queda (por exemplo, levantamento de peso ou uma queda sobre o ombro).

• A lesão requer uma quantidade significativa de força se a pessoa estiver com menos de 30 anos de idade.

Lágrima crônica

• Encontrado entre as pessoas em ocupações ou esportes que exijam sobrecarga excessiva atividade (exemplos, pintores, arremessadores de beisebol)

• As lesões crônicas podem ser o resultado de uma lesão anterior aguda que causou um problema estrutural no ombro e afetou a anatomia do manguito rotador ou função (por exemplo, osteófitos que incidem sobre um músculo ou tendão causando inflamação).

• trauma repetitivo ao músculo pelo movimento diário do ombro

• Tendinite

• Degeneração (desgaste) dos músculos com a idade

• Isso geralmente ocorre quando o tendão atribui ao osso. A área tem suprimento de sangue pobre e uma lesão leve pode levar um longo tempo para curar e, potencialmente, levar a uma ruptura secundária.

Os sintomas de lesões do manguito rotador

Os sintomas de uma lesão do manguito rotador são devido à inflamação que acompanha a tensão. Esta inflamação causa inchaço, levando ao quadro clínico de dor e diminuição da amplitude de movimento. Como os músculos e tendões do manguito rotador são escondidos bem abaixo do nível da pele, que pode ser difícil de se sentir o inchaço que acompanha a lesão, mas que o inchaço dentro do pequeno espaço que compõe a articulação do ombro impede a amplitude de movimento normal da articulação do ombro.

Ruptura do manguito rotador aguda

• Os sintomas podem ser uma súbita sensação rasgando seguido de tiroteio dor do ombro área superior (tanto na frente e atrás), para o braço em direção ao cotovelo. Há uma redução na amplitude de movimento do ombro por causa da dor e do espasmo muscular.

• A dor aguda de hemorragia e espasmos musculares: Isto pode resolver em poucos dias.
Lágrimas grandes podem causar a incapacidade de abduzir o braço, devido à dor intensa e perda de força muscular.

Lágrima crônica do manguito rotador
• Dor geralmente é pior à noite e pode interferir com o sono.

• Gradual fraqueza e diminuição da mobilidade do ombro desenvolver como a piora da dor.

• Diminuição da capacidade de encolher o braço ou movê-lo para o lado. Isto permite que o braço seja usado para a maioria das atividades mas a pessoa afetada é incapaz de usar o braço ferido para atividades que implicam a elevação do braço ou tão alta quanto mais elevado do que o dos ombros para a frente ou para os lados.

Tendinite do manguito rotador

• Mais comum em mulheres 35-50 anos de idade

• dor profunda no ombro também sentida no braço do lado de fora sobre o músculo deltóide

• sensibilidade de pontos pode ser apreciado ao longo da área que está lesionada

• Dor aparece gradualmente e se torna pior com o levantar do braço para o lado (abdução) ou retorná-lo para dentro (rotação interna)

• Pode levar a uma lágrima crônica: Quando um tendão do manguito rotador torna-se inflamado, corre o risco de perder sua fonte de sangue, fazendo com que algumas fibras do tendão fiquem em desuso. Isto aumenta o risco de desgaste do tendão parcialmente ou completamente.

Exercícios de reabilitação da lesão do manguito rotator:

Os exercícios a seguir são apenas um guia de tratamento básico, por isso o paciente deve-se fazer reabilitação acompanhado de um fisioterapeuta, para que o programa seja personalizado. A fisioterapia conta com muitas técnicas e aparelhos para atingir os objetivos, como: analgesia, fortalecimento muscular, manutenção ou ganho da amplitude de movimento de uma articulação, etc, e por isso, o tratamento não deve ser feito sem a supervisão de um profissional.

1 - Amplitude de Movimento Escapular:

Em pé, Levar os ombros para cima, comprimir as escápulas, uma de encontro à outra.
Depois, empurrá-las para baixo como se estivesse colocando as mãos nos bolsos de trás da calça.
Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

2 - Exercícios Com Bastão:

A - Flexão do Ombro:
Em pé, segurar um bastão com as mãos, com as palmas para baixo.
Levar os braços esticados até a cabeça.
Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.
B – Rotação externa:
Em decúbito dorsal, segurar um bastão com ambas as mãos, palmas para cima.
Os braços devem ficar apoiados no chão, ao lado do corpo e os cotovelos flexionados a
90º.
Com o braço são empurrar o braço lesionado e afastá-lo do corpo.
Os cotovelos devem ficar imóveis.
Manter por 5 segundos e repetir 10 vezes.
C - Extensão do Ombro:
Em pé, segurar o bastão com as mãos atrás de seu corpo afastá-lo das costas.
Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

3 - Isométricos:

A - Rotação Externa:
Em pé, de frente para uma porta aberta, com o cotovelo dobrado a 90º e com o dorso da mão encostado no batente.
Aplicar força contra o batente.
Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.
B - Rotação Interna:
Em pé, de frente para uma porta aberta, com o cotovelo
dobrado a 90º e com a palma da mão encostada no
batente da porta.
Aplicar força contra o batente.
Manter por 5 segundos, relaxar e repetir 10 vezes.

4 - Exercício de Rotação Externa Com a Faixa Terapêutica:

Em pé e com a mão do lado lesionado encostado no o abdômen, segurar a faixa que deve se encontrar presa a uma maçaneta de porta, do lado oposto ao braço lesionado e puxá-la rodando o braço para fora e afastando a mão da cintura, sem desencostar o cotovelo do corpo.
O cotovelo deve estar dobrado a 90º e o antebraço, paralelo ao chão.
Repetir 10 vezes e evoluir para 3 séries de 10.

Fazer 3 séries de 10 repetições.

5. Exercício Supra Espinhoso:

Em pé, braços descansados na lateral do corpo e polegares apontados para o chão, inclinar levemente o tronco para frente e levantar os braços lateralmente.
Conservar os cotovelos (braços) estendidos.
Levar as mãos até a altura do ombro.
Manter por 10 segundos, descansar e repetir 10 vezes.
Gradualmente, adicionar carga ao exercício, segurando pesos com as mãos para aumentar o fortalecimento.


Por: Camila Pestana
Via: http://camilapestana.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Copyright © OLHAR FISIO. Designed by OddThemes